English     Español

Anos 20 Anos 30 Anos 40 Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos 90 Anos 2000

“O passageiro não depende de nós, nós dependemos dele. Não fazemos nenhum favor em atendê-lo, ele sim presta um grande favor quando nos procura para servi-lo.” Ruben Berta

Até o momento, a maioria da frota da VARIG era composta de aeronaves alemãs e, com a Segunda Guerra Mundial, se tornava cada vez mais difícil conseguir peças para essas aeronaves, forçando assim uma renovação da frota. A primeira nova aeronave adquirida foi o De Havilland Dragon Rapide, de origem inglesa. Com ele a VARIG iniciou o seu primeiro voo internacional entre Porto Alegre e Montevidéu, no dia 5 de agosto de 1942.

Além da renovação da frota, a entrada do Brasil na Guerra fez com que Otto Meyer se afastasse da empresa para protegê-la, já que ele era de origem alemã. Em seu lugar assumiu o gaúcho Rubem Martin Berta, o primeiro funcionário da VARIG, contratado pelo próprio Otto Meyer. Rubem Berta começou a trabalhar com 19 anos na companhia e se tornou presidente em dezembro de 1941. O sonho de Berta era ver a VARIG dar a volta ao mundo, mas a sua mais ousada e inovadora contribuição para empresa foi a criação da Fundação de Funcionários da Varig, que depois foi renomeada para Fundação Rubem Berta. Todos os funcionários da companhia pertenciam à fundação, que passaria a deter 50% da empresa. A principal inspiração para a criação da Fundação foi a obra do Papa Leão XIII "Rerum Novarum", que propunha uma estrutura social onde parte dos lucros fossem divididos entre os funcionários, reduzindo assim a desigualdade social entre ricos e pobres. Ruben Berta também se inspirou na obra de Jean-Jacques Rousseau "O Contrato Social" e o "Quadragesimo Anno" de Pio XII. A Assembléia Geral, em 1945, aprovou por unanimidade a transferência das ações e a criação da Fundação de Funcionários da Varig.  O Artigo 1º da Fundação definia que esta foi criada para assegurar o bem-estar social, proteção contra invalidez, entre outros, e benefícios como aposentadorias, pensões, entre outros, para todos os funcionários da VARIG e suas famílias.

Em 1943 a VARIG encomendou oito Lockheed Electra para a sua expansão e renovação da frota. Foi com o Electra que teve inicio a padronização da frota e o serviço de bordo na VARIG. Uma caixa de lanches frios era distribuída aos passageiros pelo copiloto, pois na época não existiam comissários. O Electra I também tornaram as viagens mais rápidas. Essas aeronaves podia viajar a mais de 300 km/h, o dobro dos Junkers.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, a VARIG passou a adquirir uma grande quantidade de aeronaves remanescentes da Guerra: Douglas DC-3/C-47 e Curtiss C-46. O primeiro DC-3 foi incorporado em 1946. Os DC-3 operaram em praticamente todas as linhas da VARIG, incluindo para Montevidéu e Buenos Aires, e foram os responsáveis pela expansão da malha da empresa para além do estado do Rio Grande do Sul. No dia 27 de agosto de 1946 foi inaugurada a linha Porto Alegre - São Paulo - Rio de Janeiro, com o Douglas DC-3. Nos anos 40 a VARIG também expandiu suas rotas para cidades no interior de Santa Catarina e Paraná, além das capitais Florianópolis e Curitiba.

O primeiro Curtiss C-46 foi incorporado na frota da VARIG em 1948. Eles eram maiores do que o DC-3 e tinham três configurações básicas: Luxo, Mista e Cargueiro. A versão Luxo tinha assentos maiores e mais confortáveis, e por isso os voos operados com essa configuração tinham uma tarifa mais cara. O Curtiss C-46 versão Cargueiro foi a primeira aeronaves puramente cargueira operada pela VARIG. Nessa época o transporte de cargas via aérea ainda estava se desenvolvendo e permitiu coisas antes impossíveis como poder entregar um jornal no mesmo dia em outra região do país ou transportar alimentos extremamente perecíveis.

 

 

Década de 40

Frota:
2xCurtiss C-46
1xDe Havilland Dragon Rapid
4xDouglas DC-3
1xFiat G2
1xJunkers A-50
2xJunkers F-13
1xJunkers Ju-52/3
4xLockheed L10 Electra I
1xMesserschmitt M20
1xNordwyn UC/641
TOTAL: 18

Presidente:
Rubem Martin Berta

Destinos: 22



 

 


Mapa de rotas nos final dos anos 40 / De Havilland Dragon Rapid


Douglas DC-3  / Interior do DC-3


Curtiss C-46 / Interior do C-46

 

                              COMO ERA VOAR NOS ANOS 1940?

Nos anos 40 a aviação brasileira começou a amadurecer. A VARIG adquiriu aeronaves mais modernas e que ofereciam mais conforto para os passageiros. O Messerschmitt M20 foi o primeiro a ter cabine de comando fechada. Nessa época também iniciou o conceito de padronização da frota, com aeronaves Lockheed Electra I. Foram nos anos 40 também que se iniciou o serviço de bordo na VARIG, uma caixa de lanches frios era distribuída aos passageiros pelo co-piloto, pois na época não existiam comissários.

A partir de 1946 iniciou-se uma nova era na aviação comercial com a entrada do Douglas DC-3. Essa aeronaves revolucionaram a aviação em todo o mundo por serem baratas e extremamente versáteis. O DC-3 fez com que várias rotas se tornassem viáveis e lucrativas. Após o fim da Segunda Guerra Mundial, milhares de unidades da versão militar do DC-3 (C-47) foram convertidas para a aviação comercial. A grande oferta tornou o DC-3 uma aeronave extremamente barata, passando a fazer parte da frota de quase todas as companhias aéreas no mundo, além de ser responsável pelo surgimento de centenas de novas companhias aéreas. O mesmo aconteceu no Brasil, o DC-3 esteve presente na frota de praticamente todas as companhias aéreas e ainda deu viabilidade para o surgimento de novas companhias aéreas. Com o excesso de oferta, a VARIG e outras companhias aéreas começaram a enfrentar uma competição mais acirrada no mercado doméstico, levando à queda no preço das passagens.

Em 1948 chegou o primeiro Curtiss C-46, até então a maior aeronave já operada pela VARIG, capaz de levar até 46 passageiros. A partir daí o DC-3 e o C-46 passaram a ser as principais aeronaves da frota da VARIG e os que a companhia tinha em maior quantidade. Os dois modelos também foram uns dos que ficaram mais tempo na frota da companhia, operando por cerca de 25 anos.
 

 

 

 

 

PÁGINA INICIAL

História
Anos 20
Anos 30
Anos 40
Anos 50
Anos 60
Anos 70
Anos 80
Anos 90
Anos 2000

 

Aeronaves
Dornier Wal "Atlântico"
Dornier Merkur "Gaúcho"
Klemm L-25
Junkers A-50
Junkers F-13
Messerschmitt 108 "Taiffun"
Messerschmitt M20
Junkers JU52
Fiat G2
De Havilland DH89A
Lockheed Electra I
Nordwyn UC641
Douglas DC-3
Curtiss C-46

Convair 240
Lockheed Super G Constellation
Caravelle 1
Boeing 707-441
Douglas DC-6
Lockheed Electra II
Convair 990A
Douglas DC-8-33
Boeing 707-320
HS-748 "Avro"
Boeing 727-100
Boeing 737-200
Douglas DC-10-30
Airbus A300B4
Boeing 747-200
Boeing 747-300
Boeing 767-200ER
Boeing 737-300
Boeing 767-300ER
MD-11
Boeing 747-400
Boeing 737-700
Boeing 737-800
Boeing 777-200ER
Boeing 757-200

Rotas

 

Website
1996
2000
2002
2004
2005

 

Grupo Varig
Fundação Ruben Berta
FRB-PAR
VPSC
Ícaro Brasil
Rio Sul e Nordeste
Varig Cargo e Varig Log
Varig VEM

 

Marketing
1927-1969
Anos 70 e 80
Anos 90 e 2000

 

Design

 

Coleções
A bordo
Cartão Postal, Imagens e outros
Imagens das aeronaves
Logotipos & Passagens
Time Table